TERAPIA PREVENTIVA COM ISONIAZIDA EM CONTATOS DE TB MULTIRESISTENTE

 

Autores: Chuan-Chin Huang, Mercedes C Becerra, Roger Calderon, Carmen Contreras, Jerome Galea, Louis Grandjean, Leonid Lecca, Rosa Yataco, Zibiao Zhang, Megan Murray 

Fonte: Am J Respir Crit Care Med. 15 de outubro de 2020 

Justificativa: A Organização Mundial da Saúde recomenda o uso de isoniazida isoladamente ou em combinação com rifapentina para tratar a infecção tuberculosa latente. A recente ascensão da tuberculose multiresistente complicou a escolha do tratamento da infecção latente.

Objetivos: Avaliar os efeitos da terapia preventiva com isoniazida em contatos de pacientes com tuberculose multiresistente

Métodos: Estudo de coorte prospectivo realizado entre setembro de 2009 e agosto de 2012, identificou 4.500 pacientes índices com tuberculose e 14.044 contatos domicílios expostos à tuberculose. Estes contatos foram acompanhados por um ano para detectar a ocorrência de doença tuberculosa incidente. Embora as diretrizes nacionais peruanas especifiquem que o tratamento profilático com isoniazida deve ser fornecido a contatos com 19 anos ou menos, apenas metade deste grupo recebeu terapia preventiva com isoniazida.

Resultados: Entre 4.216 contatos com menos de 19 anos de idade, 2.106 (50%) iniciaram terapia preventiva com isoniazida no momento da admissão. O efeito protetor da isoniazida foi mais importante em contactantes expostos a TB não resistente (razão de chance, 0,30) e à tuberculose multirresistente (razão de chance 0,19) em comparação com aqueles exposto a TB mono-isoniazida resistente (razão de chance 0,80). Em um segundo estudo independente, tuberculose não ocorreu em nenhum dos 76 contatos domiciliares de TB multiresistente que receberam isoniazida profilatica, em comparação com 3% (8/273) daqueles que não o fizeram.  

Conclusão: Contatos domiciliares que receberam terapia preventiva com isoniazida tiveram um menor incidência de tuberculose, mesmo quando eles foram expostos a um paciente índice com tuberculose multirresistente. A isoniazida pode ter um papel na gestão de doenças latentes  de infecção tuberculosa multirresistente.  

Comentário: Pelo elevado número de pacientes neste estudo peruano verifica-se que a incidência de TB no Peru é muito elevada. Este estudo inidica que mesmo em TB multiresistentes, a isoniazida foi capaz de prevenir TB nos contactantes. Não deixa de ser um achado tranquilizador embora o tempo de acompanhamento tem sido de apenas 1 ano. Sabemos que a TB pode ficar latente por váios anos. Será que os dados se mantém após um acompanhamento de 4 a 5 anos? A conferir. WRF

 

 

Dra. Emanuele Xavier