INALOTERAPIA COM E SEM CÂNULA NASAL DE ALTO FLUXO EM CRIANÇAS

Autores: Mahmood A. Alalwan, James B. Fink, Arzu Ari

Fonte: Pediatric Pulmonology 2019;54:1968-1973

Introdução: As doenças respiratórias na infância, como asma, displasia broncopulmonar e fibrose cística, requerem terapia com aerossol como com freequência. No entanto, os bebês apresentam desafios únicos para a administração eficaz de aerossóis. Angústia e falta de cooperação durante a administração de tais medicamentos são os fatores recorrentes e desafiadores que os médicos enfrentam ao lidar com bebês e crianças pequenas. Em um esforço para reduzir o sofrimento do bebê, pesquisas recentes com aerossol sugeriram o uso de cânula nasal de alto fluxo (HFNC) como uma interface para a administração desses medicamentos em aerossol. 

Objetivo: Quantificar a administração de medicamentos em aerossóis com ou sem uma cânula nasal de alto fluxo (HFNC) usando um inalador de dose calibrada pressurizada (pMDI) e nebulizador a jato (NJ) com máscara facial em um modelo de pulmão pediátrico de respiração espontânea simulada.

Método: O modelo Sophia Anatomical Infant Nose‐Throat (SAINT) usado neste estudo é um modelo anatomicamente correto das vias aéreas superiores de uma criança de nove meses. Salbutamol (2,5 mg / 3 mL) foi administrado com NJ acoplado a uma máscara facial de aerossol colocado a 8 L / min. Posteriormente,  4 jatos de salbutamol HFA (90 μg / puff) foram administrados com espaçador e máscara facial. Nas 2 situações aerossol foi administrado ao modelo com e sem HFNC. O fármaco foi separado do filtro e quantificado por espectrofotometria. 

Resultados: A porcentagem média de massa inalada foi maior para pMDI com (P = 0,0001) ou sem HFNC (P = 0,003). A remoção do HFNC das narinas antes do tratamento com aerossol aumentou a entrega do medicamento com o NJ em duas vezes (P = 0,024) e o pMDI/espaçador em seis vezes (P = 0,003). Enquanto a deposição de aerossol obtida com o NJ foi maior que o pMDI com HFNC (P = 0,01).

Conclusão: Medicamentos em aerossol podem ser administrados em crianças recebendo terapia com HFNC usando NJ ou pMDI. No entanto, o uso do pMDI, com ou sem HFNC, é a melhor opção. Nos dois dispositivos em aerossol, a remoção do HFNC antes da administração levou a um aumento na porcentagem de massa inalada.

Comentário: A cânula nasal de alto fluxo é um dispositivo usado como tentativa de se evitar a ventilação mecânica e cada vez mais vem sendo utilizada na população pediátrica. Entretanto, deve-se ficar atento, pois quando usada como interface para administração de medicamentos em aerossóis, há uma menor deposição do fármaco, podendo levar a um tratamento ineficaz. A alternativa seria retirar a cânula para realização de tais medicamentos, mas isto pode acarretar em  desrecurtamento pulmonar e piora do padrão respiratório. Vale ressaltar que a inaloterapia realizada com MDI continua sendo a melhor opção quando comparada com os nebulizadores a jato. LHM

Dra. Ludmila Houara Machado